Categorias

Apostolado da Oração

Pesquisa

As Assistências ibéricas da Companhia de Jesus e a actividade científica nas missões asiáticas (1578-1640)

Baldini, Ugo. “As Assistências ibéricas da Companhia de Jesus e a actividade científica nas missões asiáticas (1578-1640): Alguns aspectos culturais e institucionais.” Translated by Bernardino Fernandes. Revista Portuguesa de Filosofia 54, no. 2 (1998): 195–246. DOI 10.17990/RPF/1998_54_2_0195.

Mais detalhes

À venda À venda!
10,00 €

135420195

Disponível apenas on-line





As Assistências ibéricas da Companhia de Jesus e a actividade científica nas missões asiáticas (1578-1640): Alguns aspectos culturais e institucionais

Author Ugo Baldini
Translator Bernardino Fernandes
Rights © 1998 Revista Portuguesa de Filosofia | © 2015 Aletheia - Associação Científica e Cultural
Volume 54
Issue 2
Pages 195-246
Publication Revista Portuguesa de Filosofia
ISSN 0870-5283; 2183-461X
Date 1998
DOI 10.17990/RPF/1998_54_2_0195
Language Portuguese
Abstract

Resumo Os estudos sobre a contribuição dos Jesuítas para a ciência durante o primeiro século da Companhia de Jesus estão a aumentar em número e em qualidade. Todavia, eles ainda separam os aspectos gerais, isto é, o contributo específico dos Jesuítas na Europa, por um lado, e o seu papel na difusão da cultura Europeia e - especialmente - no estabelecimento de contacto entre as tradições científicas do Ocidente e do Oriente. Como consequência, estudos sobre missionários, tais como Ricci. Rho ou Schall, só muito em geral têm em conta a tradição científica dos Jesuítas e, ainda menos, as dos colégios nos quais eles foram formados como "cientistas". Nem sequer tem sido prestada muita atenção ao que parece ser uma contradição. As missões dos Jesuítas no Oriente eram as mais qualificadas cientificamente, mas faziam parte da Assistência de Portugal, a qual, depois da de Espanha era a mais cientificamente "debilitada". Acresce que os mais famosos cientistas-missionários no Extremo Oriente raramente eram Ibéricos, quer por nascimento, quer por formação. O presente artigo estabelece algumas conexões entre os colégios Europeus e as missões do Extremo Oriente, discutindo o estatuto das disciplinas matemáticas nos colégios Ibéricos, bem como o modo como isso podia afectar a actividade científica dos missionários e a sua transmissão para a Europa.

 

Abstract Studies on Jesuit contributions to science during the Society's first century are increasing in number and quality. But they still show a division between the general aspects, or the specific contributions by Jesuits in Europe, and their role in spreading European culture and - specially - in establishing a contact between scientific traditions of the West and the East. Owing to this, studieson missionaries, as Ricci. Rho or Schall consider only very broadly the Jesuit scientific tradition and, even less, those of the colleges in which they were formed as "scientists". Nor a much larger attention has been paid to what seems a contradiction. Jesuit missions in the East were the best scientifically qualified, but they were a part of the Portuguese Assistence which, after the Spanish, was the most "depressed" scientifically. In addition, the best reputed scientists-missionaries in the Far East were rarely Iberian, by birth or training. This article draws some connections between European colleges and Far East missions, discussing the mathematical disciplines' status in the Iberian colleges, and the way it could affect the missionaries' scientific work and its transmission in Europe.

Date Added 20/07/2015, 14:14:21
Modified 20/07/2015, 14:33:51

Carrinho  

Sem produtos

Envio 0,00 €
Total 0,00 €

Carrinho Encomendar

PayPal

Pesquisa