Categorias

Apostolado da Oração

Pesquisa

O papel de uma organização do ensino superior no processo de conciliação entre vida profissional e familiar

O papel de uma organização do ensino superior no processo de conciliação entre vida profissional e familiar

Márcia Cardoso and Carla Serrão, “O papel de uma organização do ensino superior no processo de conciliação entre vida profissional e familiar de colaboradoras/es,” in Psicologia do Trabalho e das Organizações: Contributos, ed. Fátima Lobo (Braga: Axioma - Publicações da Faculdade de Filosofia, 2016), 57–70, DOI 10.17990/Axi/2016_9789726972556_057

Mais detalhes

À venda À venda!
10,00 €

9789726972556_057

Disponível apenas on-line



O papel de uma organização do ensino superior no processo de conciliação entre vida profissional e familiar de colaboradoras/es

Type Book Section
Editor Fátima Lobo
Author Márcia Cardoso
Author Carla Serrão
URL http://dx.doi.org/10.17990/Axi/2016_9789726972556_057
Rights © 2016 Aletheia - Associação Científica e Cultural
Place Braga
Publisher Axioma - Publicações da Faculdade de Filosofia
Pages 57-70
ISBN 978-972-697-255-6
Date 2016
Language Portuguese
Abstract Higher education organizations must incorporate the principles of gender equality in its mission because its influence and positioning also serve as social references, requiring firsthand an effort of awareness of concepts, representations, ideological and ethical positions from of embodying practices, actions and speeches of teachers and students. This study focused on the representations that employees of an organization of higher education have on the organization’s role in facilitating the reconciliation process between work and family life and personal life of the employees. Four focus groups were conducted and participated twenty-six employees (teachers and non-teachers staff with and without children). The contents were grouped into sub-themes: positive and negative representations about the current role of the Organization in the reconciliation and factors influencing the performance of the Organization in terms of reconciliation. The results suggest the presence of multiple difficulties in conciliation professional and personal life and family life by the employees perceptions and, in general terms, the narratives tend to score the need for the Organization to implement mechanisms to facilitate the processes of reconciliation, regardless of the exercise of the role of parenting of his employees.
Book Title Psicologia do Trabalho e das Organizações: Contributos
Date Added 28/06/2016, 15:31:17
Modified 28/06/2016, 15:38:04

Notes:

  • Bardin, L. (1979). Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70.
    Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (2011). A igualdade de género em Portugal 2010. Lisboa: Presidência do Conselho de Ministros.
    Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego (2014). Relatório sobre o progresso da igualdade entre mulheres e homens no trabalho, emprego e formação profissional – 2013. Retirado em 22 de agosto, http://cite.gov.pt/asstscite/downloads/Relat_Lei10_2013.pdf.
    Ferreira, V. (2011). Os Planos para a Igualdade nas Organizações e a estratégia de mainstreaming. Covilhã. Retirado em 22 de agosto, www.ces.up.pt.
    Galego, C., & Gomes, A. A. (2005). Emancipação, ruptura e inovação: o focus group como instrumento de investigação. Revista Lusófona de Educação, 5, 173-184.
    Koning, M. (2009). Abrandar no espaço em branco: dar relevo ao fundo dos textos sobre a liderança. In E. Macedo & M. Koning (Coords), Reinventando lideranças: género, educação e poder (pp.71-95). Porto: Livpsic & Fundação Cuidar o Futuro.
    Krippendorff, K. (1980). Content Analysis: An Introduction to Its Methodology. London: Sage Publications.
    Monteiro, R. (2014). A conciliação trabalho-família e os riscos psicossociais, In H. V. Neto, P. Areosa, & P. Arezes, (Org.), Manual sobre Riscos Psicossociais no Trabalho (pp.131-151). Porto: RICOT.
    Monteiro, R., & Domingos, L. (2013). O sentido do direito à conciliação: vida profissional, familiar e pessoal numa autarquia. Sociologia, Problemas e Práticas, 73, 59-77.
    Morgan, D. L. (1997). Focus Groups as Qualitative Research. Thousand Oaks, CA, SAGE Publications.     
    Pernas, G., Fernandes, M. V., & Guerreiro, M. D. (2008). Guião para a implementação de planos de igualdade nas empresas. Lisboa: ISCTE.
    Resolução do Conselho de Ministros n.º 5/2011, de 18 de janeiro. Diário da República, 1.ª Série, n.º 2, de 18 de Janeiro. Lisboa: Conselho de Ministros.
    Resolução do Conselho de Ministros n.º 184/2003, de 25 de novembro. Diário da República, 1.ª Série - B, n.º 273, de 25 de Novembro. Lisboa: Conselho de Ministros.
    Silva, M. (2007). Vida profissional e familiar: padrões de conflito e facilitação na gestão de múltiplos papéis. Porto. Retirado em 22 de agosto, http://repositorio-aberto.up.pt/.
    Vala, J. (1999). A Análise de Conteúdo. In A. S. Silva & J. M. Pinto (Eds.), Metodologia das Ciências Sociais (10ª ed.) (pp. 101-128). Porto: Editora Afrontamento.
    III Plano Nacional para a Igualdade – Cidadania e Género, 2007-2011. Retirado a 24/2/2014 http://www.enterpriseeuropenetwork.pt/info/RSO/Documents/III%20Plano%20Nac%20Igualdade_2007-2010.pdf

Carrinho  

Sem produtos

Envio 0,00 €
Total 0,00 €

Carrinho Encomendar

PayPal

Pesquisa