Categorias

Apostolado da Oração

Do Luto

Do Luto

Jorge Correia Jesuíno and Clara Costa Oliveira, eds., Do Luto, Filosofia 42 (Braga: Axioma - Publicações da Faculdade de Filosofia, 2016), DOI 10.17990/Axi/2016_9789726972570

Mais detalhes

À venda À venda!
15,00 €

Do Luto

Type Book
Editor Jorge Correia Jesuíno
Editor Clara Costa Oliveira
DOI 10.17990/Axi/2016_9789726972570
Rights         © 2016 Aletheia - Associação Científica e Cultural        
Series Filosofia
Place Braga
Publisher Axioma - Publicações da Faculdade de Filosofia
ISBN 978-972-697-256-3 978-972-697-257-0
Date 2016
Series Number 42
Language Portuguese
# of Pages 232
Date Added 25/07/2016, 11:07:55
Modified 25/07/2016, 11:17:29
Contents

Alexandra Nobre, “Luto – Um salto quântico de martelo anguloso a seixo rolado,” p., xiii–xviii, DOI 10.17990/Axi/2016_9789726972570_xiii

 

Jorge Correia Jesuíno and Clara Costa Oliveira, “Introdução: Do Luto,” p., 1–8, DOI 10.17990/Axi/2016_9789726972570_001

 

Alexandre Brito, “Notas sobre Morte e Morrer e Objetos Psicossocialmente Elaborados,” p., 9–32, DOI 10.17990/Axi/2016_9789726972570_009

 

Abílio Oliveira, “Emoções (Des)Conhecidas – Os mais jovens face à Morte e ao Luto,” p., 33–64, DOI 10.17990/Axi/2016_9789726972570_033

 

Maria Azevedo, “Horizontes do Morrer,” p., 65–98, DOI 10.17990/Axi/2016_9789726972570_065

 

Ana Granja, “A Morte e o Luto em Contexto Escolar,” p., 99–120, DOI 10.17990/Axi/2016_9789726972570_099

 

Maria de Jesus Moura, “Necessidades Relacionais das Crianças em Luto,” p., 121–42, DOI 10.17990/Axi/2016_9789726972570_121

 

Clara Costa Oliveira, “Luto de Vivos: Caminhando (como uma casa) em Chamas,” p., 143–62, DOI 10.17990/Axi/2016_9789726972570_143

 

Jorge Correia Jesuíno and Isabel Pestana, “Caminhos da Melancolia,” p., 163–200, DOI 10.17990/Axi/2016_9789726972570_163

Tags:

  • ethics
  • existential inquietude
  • Grief
  • Philosophy
  • Psychology of Grief

Notes:

  • Agora que li este livro, luto passou a ser um conceito menos anguloso, assim à laia de um seixo rolado que tanto pode dar pancadas secas (lembram-se do martelo?), como apaziaguar os músculos numa massagem de pedras quentes. E já não é negro. É cinzento, cinzento claro vá, vamos com calma... O luto surge aqui como um elo que confere sentido à vida e à morte já que (também lerão) “a morte de um ente querido provoca grandes alterações na vida, que somente um processo de luto saudável ajuda a resolver.”
    (Alexandra Nobre, in Apresentação)

    Precisamos de retomar, ou de reinventar, rituais que facilitem a integração do sofrimento e do luto no ciclo vital, individual e comunitário. Se a morte não tem qualquer sentido, a vida é um absurdo, e desaparecer para sempre quanto antes pode constituir ele próprio um sentido. Da importância antropológica e comunitária falamos repetidamente ao longo desta obra; ela permite que o processo de luto culmine numa melancolia doce e simultaneamente triste... Podemos então caracterizar este livro como se estruturando em uma dialéctica onde morte, luto e melancolia constituem cada um deles possíveis “interpretantes” ou mediações dos outros dois conceitos.
    (Jorge Correia Jesuíno e Clara Costa Oliveira, in Introdução)

    Os adultos têm muita dificuldade em lidar com emoções muito intensas nas crianças. Para eles também é importante compreender o que é um processo de luto infantil (...) A perda de um elemento da família nuclear na infância pode constituir-se como um factor de risco para o desenvolvimento emocional da criança. Tendo como base as respostas emocionais das crianças em luto e os factores de risco para o seu desenvolvimento, reconhecemos assim que as crianças em luto têm necessidades específicas de serem informadas, envolvidas e simultaneamente protegidas, para facilitar a sua adaptação.
    (Maria de Jesus Moura, in Capítulo 5)